Fauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX




descargar 47.5 Kb.
títuloFauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX
fecha de publicación27.10.2015
tamaño47.5 Kb.
tipoDocumentos
b.se-todo.com > Economía > Documentos

FAUNA BRAVIA. ECONOMIA CINEGÉTICA TRADICIONAL E CAÇADAS EM MOÇAMBIQUE NO SÉCULO XX




Fundo Documental


de

Eduardo MEDEIROS

Departamento de Sociologia e Núcleo de Estudos Sobre África, do Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades (CIDEHUS), da Universidade de Évora.

Nota: A consulta dos documentos deste Fundo será feita na Biblioteca do CIDEHUS, em Évora. Para tal, o investigador solicitará por e-mail ao detentor do Fundo [ecm@uevora.pt] o ou os documentos pretendidos com uma antecedência de 15 dias. Depois de consultado e reproduzido o documento o investigador compromete-se a citar a fonte, o arquivo pessoal, deixar uma cópia do documento digitalizado e enviar posteriormente para o NESA uma cópia do trabalho final. Poderá também fazer essa consulta em Coimbra, em data a combinar e de acordo com os mesmos requesitos.


0. A fauna bravia em Moçambique

Resenha biológica: Os registos etnográficos da documentação portuguesa não especializada e os trabalhos de biólogos e veterinários como Travassos Dias.
Fauna of British East and Central Africa [Pasta Preta nº 2]

Animais Selvagens - Contribuição para o estudo da fauna de Moçambique, de João Augusto Silva. Lourenço Marques, INM, 1958, 266 pgs, Ilustradas

Abecedário dos mamíferos selvagens de Moçambique, por J.A. Travassos Santos Dias. Lourenço Marques, [Imprensa Moderna], 1975 (Ano da Independência), 239 pgs, Ilustradas. [Estante]

Sobre o gado no sul de Moçambique [Pasta Preta nº 2]

Contribuição para uma bibliografia Agro-Silvopastoril de Moçambique, por Hélia Lains e Silva. IICT, Série Ciências Agrárias, nº 3 [Comunicações], Lisboa, 1990: 117 pgs, com 2656 referênicias + Índice de Assuntos
0.1. Depredação da fauna bravia. Marcos históricos


  1. O comércio do marfim no litoral de Moçambique antes de 1500. Texto de Eduardo Medeiros, com este título, [Raízes Culturais, n.º 13, Rotas do Oceano Índico, n.º 1, Maputo, 1996]




  1. O ciclo do marfim [1693-1750], embora o tráfico do marfim esteja sempre presente, até à actualidade.


História de Moçambique, Vol.I Maputo: UEM (Estante)

História de Moçambique, NEWITT, Malyn. Lisboa, Publicações Europa-América, 1997 (trad. portuguesa de History of Mozambique, 1995, por Lucília Rodrigues e Maria Georgina Segurado) Estante)

Deocleano Fernandes das Neves, "O Homem que não ri", Ilídio Rocha (Estante) Na senda do marfim [Pasta Preta nº 2]

A prática da obtenção do marfim até aos nossos dias

  • Nos anos 50 do século XX, em Sofala e Manica, Clemente da Silva (a partir do Búzi) caçava elefantes para obter marfim, e outros animais para as peles. Passava 2 a 3 meses no mato.

  • Em 1953 começou a ser limitado o abate do elefante [Ver]

  • Depois da Independência continuou a procura clandestina de marfim no Niassa, Cabo Delgado e no Centro do País os elefantes das reservas foram dizimados pelos bandoleiros armados da frelimo e da renamo.



c) Aumento da população humana no território desde 1930. Censos e inquéritos demográficos [Ver pasta sobre Demografia e estatísticas demográficas de Moçambique]
d) obtenção de carne de animais silvestres nos anos 50 e 60 do século XX
0.2. A questão das armas de fogo
Caçadas com armas de fogo [Pasta Preta nº 2]

Portugueses Musketeers on the Zambezi, Richard Gray [Pasta Preta nº 2]

As armas de fogo no sul da África Central - Shona e Ndbele [Pasta Preta nº 2]
1. A actividade cinegética dos agricultores tradicionais em Moçambique

A actividade cinegética na sociedade tradicional Macua [Plano de Investigação] + Plano de artigos [P. Preta nº 2]

Caça. Notas de campo minhas (E.M.) [Pasta Preta nº 2]

Armadilhas. Textos dos alunos [Pasta Preta nº 2]

Transcrição de entrevistas sobre o Ephakala e sobre o Ekhaia (pangolim) [Pasta Preta nº 2]

A organização política das caçadas [Pasta Preta nº 2]

O homem que via a sogra tomar banho [Pasta Preta nº 2]

Fichas sobre a caça [Pasta Preta nº 2]

Reprodução de gravuras de armadilhas e de tambores relativos às caçadas [Pasta Preta nº 2]

Inquérito sobre caçadas tradicionais a realizar em Mogovolas, Nampula, Malema e Ribáuè [Pasta Preta nº2]

As técnicas e práticas de caça entre os Macuas [Pasta Preta nº 2]

Cães de caça [Pasta Preta nº 2]

A caça no Liupo (Nampula) [Pasta Preta nº 2]

A caça tradicional na província do Niassa [Pasta Preta nº 2]

Caçadas em Cuamba e Amaramba (Niassa) [Pasta Preta nº 2]

Caçadas colectivas com rede entre os Macuas de Cabo Delgado [Pasta Preta nº 2]

As caçadas em Cabo Delgado a Sul do Rio Messalo [Pasta Preta nº 2]

Caçadas colectivas com rede e aparecimento do leão [Pasta Preta nº 2]

Armadilhas [Pasta Preta nº 2]

Direitos sobre o produto da caça[da], Angoxe 1910 [Pasta Preta nº 2]

Alimentação de origem animal (Ribáuè, 1960) [Pasta Preta nº 2]

Ritos e caça tradicional na província de Sofala (Búzi) [Pasta Preta nº 2]

As caçadas no Zembe (Chimoio, Manica) [Pasta Preta nº 2]

A caça ao leão na província de Sofala (Búzi) [Pasta Preta nº 2]

A caça em Manica e Sofala a sul do rio Pungué,1892-1936 (Miguel da Cruz) [Pasta Preta nº 2]

A caça na Angónia (Tete) [Pasta Preta nº 2]

A caça tradicional na província do Niassa [Pasta Preta nº 2]

A caça no Liupo (distrito do Mogincual) [Pasta Preta nº 2]

Caçadas com armas de fogo [Pasta Preta nº 2]

Inquérito sobre as caçadas tradicionasi (Nampula) [Pasta Preta nº 2]

Vocabulário Relativo às caçadas [Pasta Preta nº 2]

A caça. Figuras [Pasta Preta nº 2]

Vocabulário macua relativo às caçadas (Dicionário Português-Macua) [Pasta Preta nº 2]

Nota de etnografia moçambicana. A caça do elefante no distrito de Tete, por Jaime Lino, in: Trabalhos da Sociedade Portuguesa de Antropologia e Sociologia, Porto, 1938, Vol. VIII, Fasc. III-IV, pp. 391-394 (Pasta do Fundo documental)
2. A actividade cinegética dos colonos
A hunting trip to Mozambique in 1868 (Dick Hobson) [Pasta Preta nº 2]

A caça em Manica e Sofala a sul do rio Pungué,1892-1936 (Miguel da Cruz) [Pasta Preta nº 2]

Fotografias [nas Cxs de ]

Alguns dados sobre a participação de elementos da comunidade chinesa de moçambique em actividades de caça. por Celestino Gonçalves [celestinoamor@mail.telepac.pt], texto enviado por e-mail, a 14 de outubro de 2003.

2.1. "Desportiva"


  • falar com José Augusto Matias Salvador [tiros aos pratos, clubes, etc]


2.2. Turismo cinegético [Safaris]


  1. antes da Independência




  • empresas de turismo cinegético

  • territórios turísticos (parques, coutadas, etc)

  • caçadores-guias


Ventos de destruição – memórias e aventuras de caça em Moçambique. Adelino Serras Pires & Fiona Claire Capstick. Lisboa, Bertrand Editora, 2002.
b) depois da Independência


  • empresas de turismo cinegético

  • territórios turísticos (parques, coutadas, etc)

  • caçadores-guias


Sem animais não há turistas: Moçambique volta a caçar elefantes. Mário de Carvalho, Expresso, 7 de Agosto 1999, Supl. Negócios, p. 12
2.3. Obtenção de carne de fauna silvestre para as Companhias agrícolas e mineiras


  • em que ano é que começou a procura de carne de caça em quantidade?

  • Para que empresas e instituições?

  • Havia uma regulamentação faunística para esta actividade?

  • Zonas para as caçadas deste tipo?

  • Processos e técnicas de armazenamento e transporte da carne?

  • Profissionais desta actividade:

  • Os caçadores profissionais de carne, 1950-1970 [Pasta Preta nº 2]

  • Caçadores a investigar:

[o da Sena Sugar States, que tinha um caçador de carne encartado]

Clemente da Silva, a partir do Búzi

Alfredo Simões Coimbra, a partir do Búzi, anos 50

Virgilio Garcia, Beira

Pinheiro Maia, Beira

Sarantes (o grego), Beira

José Simões, Beira

Armindo Vieira [o Marabu], Beira, Esturro


3. Coutadas, Reservas e Parques Naturais
1. Durante a época colonial:

Regulamento de caça - aprovado por diploma legislativo nº 765, de 13 de Agosto de 1941. Lourenço Marques: Imprensa Nacional de Moçambique [RP-Colónia de Moçambique], 1941, 27 pgs

Protecção ao solo, flora e fauna nas províncias ultramarinas [Decreto nº 40.040, de 20 de Janeiro de 1955]. Lisboa, AGU, MCMLV, 70 pgs.

Reconhecimento ecológico da região do Rovuma / Lugenda, em vista à criação de um Parque Nacional (Lobão Tello & P.T. Datton) [Pasta Preta nº 2]

Reconhecimento ecológico da reserva dos elefantes do Maputo, por José Luís Pessoa Lobão Tello. Lourenço Marques, Separata da Revista de Veterinária de Moçambique, nº 5 (2) 1973, pp. 99. 122

Caça (Legislação sobre caça, parques nacionais, coutadas, reservas e regimes de vilância e outras disposições) - compilação e coordenação de José Lourenço Farinha (dos Serviços de Veterinária). Lourenço Marques: Imprensa Nacional, 1972, 300 pgs.
2. Após a Independência:

Parque Nacional de Banhine [nos distritos de Massangena, Chigubo e Chicualacuala], com leões, leopardos e avestruzes, entre muitos outros animais. Ler reportagem de António Elias no Savana de 03 de Janeiro de 2003.


Legislação sobre a actividade da caça [República de Moçambique], Decreto nº 7/78, de 18 de Abril, Portaria nº 117/78, de 16 de Maio. Maputo: Imprensa Nacional de Moçambique, 1978

Regulamento da Lei de Florestas e Fauna Bravia. [República de Moçambique] Decreto n.º 12/2002 de 6 de Junho.

Regulamentos (Vide recortes de jornais)
4. Associações de caçadores e Associações de Protecção da Natureza
Associação de Protecção da Natureza de Moçambique. Um dos sócios fundadores foi: J.A. Travassos Santos Dias.
5. Personalidades com interesse para esta investigação

António Rita-Ferreira [Nosseus trabalhos etnográficos sobre Moçambique ARF fez frequentes referências às caçadas tradicionais. A destacar no seu livro A Pesença Luso-Asiática e Mutações Culturais no Sul de Moçambique (Até c. 1900), Lisboa, IICT/JIU, 1982: 151-155, sobre as caçadas no sul de Moçambique]

Armando José Rosinha

Ascêncio de Freitas

Augusto Cabral [do Museu de História Natural, Maputo]

Carlos José Brandão de Aguiar da Costa Neves [Lisboa]

Celestino Ferreira Gonçalves [com página na Net]

Jessica Shafer [jesster@telepac.pt]

João Augusto Silva

José Luís Pessoa Lobão Tello

Furtado [Prof. Doutor Engº Civil Jubilado - Univ. Coimbra, ]

Hélia Lains e Silva [Eng° Agrónoma] do CDI, do IICT

Mário Myre, Engº Agrónomo

Mia Couto (Biólogo). Maputo

Doutor Santos Velho. Direcção Geral de Veterinaria, em Lisboa.

Artur Figueiredo Nunes [Veterinário, com experiência em Moçambique, UÉ, Deptº de Zootecnia, Mitra (Director Regional da Agricultura do Ribatejo e Oeste – Santarém, Palheiro do Pinto. E.N. – 3 // Apartado 477 // 2001-096 Santarém. Tel. 243377501 , e-mail: dradro@dradro.pt )

António Sousa Velho – Dir. Ger. de Veterinária, Rua Elias Garcia, 30 – Venda Nova 2700 Amadora. E-mail: veterinária@mail.telepac.t
6. Estudos comparativos
A propósito de um projecto de investigação feito pelo Departamento de Biologia da UEM [Pasta Preta nº 2]

Esboço de sistematização dos processos de aprasamento e caça dos autoctones angolanos [Pasta Preta nº 2]
7. Revistas da especialidade ou com interesse para estes estudos, incluindo jornais
ÁGUA - Revista do Centro de Formação Profissional de Água e Saneamento, nº 10 (1991), 13 (1995), 17 (1998)

ÁGUA E DESENVOLVIMENTO - Revista de divulgação hidraulica e agrícola. Maputo, Tipografia "Notícias", Director João Mendes. Números comigo: 1 (Julho-Agostop, 90), 5 (Março- Abril, 91), 6/7 (Maio-Agosto, 91), 10 (Janº-Março 92),

CAMPO (O ) [RM-Instituto de Comunicação Social]. Maputo, nº 61 (Janº-Fevº, 1991), nº 63

(Março-Abril, 1991)

EXTRA - Revista para o desenvolvimento e extensão rural. Maputo. Centro de Formação Agrária e de Desenvolvimento Rural (CFA), do Ministério da Agricultura (colecção completa até 1998)

MACHAMBA - Suplemento do jornal "Notícias" editado para o Serviço de Cooperativas do Ministério da Agricultura. Ano I, Julho-Agosto, 1978.

MOÇAMBIENTE - Vários números

MOÇAMBIENTE (Novo) - Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Vários Números)

RURAL (Revista) - Informação sobre o Desenvolvimento Rural [Instituto de Desenvolvimento Rural]. Maputo. nºs 1(Ano 1), 3 (Ano 1)

TEMPO - Revista . Maputo. Colecção de vários anos

VIDA SILVESTRE [Revista de Florestas e Fauna Bravia], Ano I, nº 1, 1991

VISÃO AMBIENTAL - Boletim do Programa de Educação Ambiental.

Recortes de jornais [Pasta Preta nº 2]
8. Bibliografia complementar
Características da vida rural negra, por Homero Ferrinho (Engº Agrº), in: Revista de Ciências Agronómicas, Lourenço Marques, vol. 5(1), Série B, 1972, pp. 13-56

Cidade (A) da Beira [na 1ª Exposição Colonial do Pôrto]. Beira: Comissão de Administração Urbana, 1934.

Colónia (A) Portuguesa de Moçambique. Lourenço Marques: Imprensa Nacional, 1929, 101 pgs

Cultura (A) do Chá pelos Portugueses na Zambézia, de Francisco Gavicho de Lacerda.Lisboa, 1948[Tipografia Excelsior], (Assuntos Coloniais)

Descrição económica de Moçambique, de C.F. Spence [Versão portuguesa de ]. Lourenço Marques, Minerva Central, 1951 [Ver Caça e Mosca Tsé-Tsé, Turismo, ]

Floresta (A) africana e os factores bióticos - Primeiras observações de um ensaio em Moçambique. Luanda: IICA, 1966

Interesse (O) dos aspectos sociais no desenvolvimento rural, por Homero Ferrinho (Engº Agrº). Lourenço Marques: Instituto do Algodão de Moçambique, 1964 (Série: Economia e Sociologia, 1).

Lições sobre desenvolvimento comunitário, por Joseph Brossard. Lourenço Marques: Sociedade de Estudos de Moçambique, Centro Moçambicano de Estudos Cooperativos, [tradução de Antineia Sousa Paula]. Lourenço Marques, s/d [1970?]

Nota sobre o "Muzimo" do abrigo com pinturas rupestre da Mavita, por J. Norberto dos Santos Júnior e Luís dos Santos. XIII Congresso Luso-Espanhol para o Progresso das Ciências, 4ª Secção - Ciências Naturais - Tomo V, pp. 589-602.

Port (Le) Beira et le pont sur le Zambeze. Exposition de Paris, 1937. Lisboa: Neogravura, 1937

Portuguese East África, Overseas Economic Surveys, September 1948. London, HMSO. 48p

Principais (Os) componentes das pastagens espontâneas do sul da província de Moçambique (Contribuição para o seu estudo). I - Estudo especial e geral florístico-ecológico das espécies pascícolas, evidenciando-se as gramíneas que existem na província), por Mário Myre, Engº Agrónomo. Lourernço Marques, Direcção de Agricultura e Florestas / Província de Moçambique, 1960, 307 pgs com ilustrações [Tipografia Minerva]

Território de Manica e Sofala [Monografia], Companhia de Moçambique (Exposição Colonial Portuguesa no Porto, em 1934). Lisboa: Sociedade Nacional de Tipografia.

Vida (Da) e morte dos Bichos. Subsídios para o estudo da fauna de Angola e notas de caça. [Vol. III: O Leão]. Teodósio Cabral, Henrique Galvão e Abel Pratas. Lisboa, Livraria Popular, S/d, 2ª edição
9. Mapas e estudos geográficos
10. Fundo iconográfico sobre a caça e caçadas [Cópias fotográficas em papel e digitalizadas]

- Fotografias de Mário Santos: espólios de caçadas em 2002 na coutada 5, a norte do rio Save, em Moçambique

Para informação no momento oportuno:
From: "M Caldeira" <mcaldeira@isa.utl.pt>


Subject: seminário 22 Março 2006


Caros colegas,

Venho relembrar que o próximo seminário "Staying together: aspectos da
relação entre Maasai e Fauna Selvagem no Ecossistema de Amboseli, Quénia" por Joana Roque de Pinho (Colorado State University, EUA) realizar-se-á na próxima quarta-feira, dia 22 de Março entre as 12:30 e as 13:30h no Auditório do Departamento de Engenharia Florestal
Cumprimentos,
Conceição Caldeira

similar:

Fauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX icon¿ Que significa la expresión “economía global” ? ¿Por qué se define así la economía actual?

Fauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX iconResumen según la oms la medicina tradicional es un término amplio...

Fauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX iconResumen según la oms la medicina tradicional es un término amplio...

Fauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX iconCrecimiento de la economía la economía misionera creció a tasas de...

Fauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX icon"Nueva Economía Institucional versus Economía Política Institucional. Cuestiones teóricas clave"

Fauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX iconJ. Herculano Pires, considerado o maior intelectual espírita brasileiro...

Fauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX iconDe la Investigación, Colección y Exportación de Flora y Fauna Silvestre

Fauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX iconActividad 5 Especies de fauna silvestre en peligro de extinción en Chiapas

Fauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX iconPauta actividad: diversidad de la flora y fauna en el litoral costero

Fauna bravia. Economia cinegética tradicional e caçadas em moçambique no século XX iconCompetencia entre hermanos
«el regalo del cielo» : tipo de ecosistema, localización, flora y fauna, importancia y problemática de la reserva




Todos los derechos reservados. Copyright © 2015
contactos
b.se-todo.com