Entrevista Conclusão




descargar 468.36 Kb.
títuloEntrevista Conclusão
página7/7
fecha de publicación27.10.2015
tamaño468.36 Kb.
tipoEntrevista
b.se-todo.com > Derecho > Entrevista
1   2   3   4   5   6   7

4 Conectividade



Entendemos por conectividade a capacidade de criar redes de relacionamento (outro intangível), engajar pessoas em objetivos comuns, estabelecer vínculos duradouros e autênticos com uma ampla gama de pessoas, formar parcerias, alianças e fazer contatos diversificados. Conectividade está imtimamente ligada com competência interpessoal, autenticidade, empatia, credibilidade, entusiasmo, amplitude de interesses, sensibilidade.

Ettiene Wenger criou o conceito de "comunidades de interesse" para descrever grupos informais que surgem espontaneamente nos locais de trabalho, onde pessoas se agrupam para colaborar, partilhar informações, conhecimentos e experiências, ensinar e aprender, acolhendo todos os interessados, independente de instrução, posição ou títulos. Como diz Wenger, "Não há distinção entre aprendizagem e participação social, e é esta última que torna a aprendizagem duradoura e significativa" A conectividade, o aglutinar pessoas, o manter elos de ligação diversificados, constituem uma via de relacionamento e interação que transpõe barreiras entre níveis hierárquicos, áreas, setores, grupos profissionais e empresas, facilitando a integração de esforços, acesso às informações, além de estimular a cooperação, o sentimento de pertencer e ser aceito. Trata-se de uma forma de atuar que facilita a criação de parcerias e a emergência de lideranças informais e espontâneas.

Círculos amplos e diversificados de relacionamento criam oportunidades para a aprendizagem contínua, permitem trocas que enriquecem nossa experiência e expandem nossa visão de mundo. Por esta razão a conectividade como competência durável tem resistido a séculos de história e continuará tendo crescente importância num mundo no qual informações e conhecimentos são a matéria prima por excelência..
5. Versatilidade/Adaptabilidade
Embora a versatilidade/adaptabilidade tenham sido importantes mesmo em períodos de mudanças mais lentas e menos dramáticas, no mundo contemporâneo são imperiosas em virtude do intenso e constante rítmo da transformação. Nos últimos cinquenta anos a ciência e a tecnologia avançaram mais do que em todos os séculos de história registrada da humanidade. A capacidade de ajustamento rápido a novos cenários e demandas mutantes do mercado tornou-se um fator crucial para a sobrevivência das empresas. Tanto a cúpula, como a base dos sistemas organizacionais precisam estar aptas a fornecer respostas rápidas, o que significa a necessidade de rever papéis, funções, estilos de liderança e gestão de pessoas. Os processos de produção de bens e serviços estão exigindo, cada vez mais, envolvimento e comprometimento com os resultados do trabalho, auto-controle em vez de controle externo, participação responsável em vez de submissão às ordens dos superiores hierárquicos, foco no cliente em vez de cumprimento cego de normas e procedimentos , visão de médio e longo prazo em vez de metas semanais ou mensais.

O dinamismo do mercado implica alterações nos processos de trabalho, nos métodos e filosofias de gestão e no relacionamento entre funcionários e empresa. Produtividade, melhoria de processos, renovação de produtos e serviços, qualidade de atendimento ao cliente, temperados com criatividade, intuição, sensibilidade, versatilidade e adaptabilidade às condições emergentes são as armas com as quais os concorrentes se enfrentam. Num mundo que se desmaterializa o COMO passa a ter maior relevância do que o O QUE em todos os campos da atividade humana. Um exemplo típico são os supermercados que oferecem as mesmas linhas de produtos e onde o diferencial competitivo é o atendimento, a disposição e disponibilidade das mercadorias, o ambiente, as promoções, a imagem institucional.

Quanto mais rápidas as mudanças do cenário sócio-econômico, mais críticas se tornam a versatilidade e a adaptabilidade.

Quando Berne descreve o estado de ego Criança, enfatiza a importância da curiosidade, criatividade, espontaneidade e flexibilidade como recursos preciosos que sustentam nossa infinita capacidade de mudar, bem como a intuição que nos alerta para as inúmeras oportunidades de faze-lo.
6. Capacidade de Negociação e de Administrar Conflitos
Negociar, mais do que uma arte, é uma filosofia de vida baseada na cooperação, no respeito aos nossos direitos e aos direitos dos outros.. Trata-se de um processo social / interpessoal que nos da oportunidade de exercitar / testar nosso auto-conhecimento, competência interpessoal, sensibilidade / empatia, conectividade, versatilidade/adaptabilidade e capacidade de estabelecer acordos/contratos claros, exeqüíveis e que contemplem igualmente todas as partes envolvidas.

Trata-se de uma relação OK / OK tão bem descrita por Berne quando fala das características do Triunfador, (ou Vencedor) características estas que precisam ser insistentemente exercitadas num mundo carente de auto-respeito e respeito ao próximo.

Todos temos capacidade de negociar, entretanto poucos a praticam por limitarem sua opções diante de conflitos de idéias, opiniões, posicionamentos, preferência, necessidade e interesses. Nossa tendência é recorrer à submissão ou imposição, o famoso jogo do ganha / perde, cujas inúmeras versões e efeitos foram magistralmente descritos por Berne.

As nossas maiores dificuldades e problemas têm, quando analisados com atenção, suas raízes nas falhas de contratação. No caso específico do trabalho, se considerarmos que cada trabalhador, qualquer que seja seu campo de atuação, dispõe de um capital humano para investir numa determinada atividade, seja ela autônoma, liberal ou com vínculo empregatício, dificilmente poderá haver envolvimento e comprometimento de parte a parte se não forem estabelecidos acordos/contratos em relação ao que uma espera da outra e que tipo de retorno cada uma auferirá.

Ao criar o conceito de relação contratual, a Análise Transacional demonstra, tanto na teoria quanto na prática, que se não assumirmos a responsabilidade por nossos atos, se não utilizarmos nossos erros como forma de aprendizagem e crescimento pessoal e profissional constantes, poucas chances terão de alterar o status quo. Em outras palavras, se não tomarmos a iniciativa de rever determinados comportamentos repetitivos e estereotipados, correr o risco de questionar certas reações aos estímulos que recebemos, proceder a uma auto-análise honesta e sincera a respeito de nossas qualidades e limitações, se necessário com ajuda profissional especializada, nada mudará e nossos costumeiros conflitos e dificuldades continuarão se repetindo emdiferentes cenários, com diferentes pessoas e em momentos diferentes.

Negociar é administrar as diferenças de interesses, encontrar semelhanças e aspectos convergentes em situações aparentemente divergentes. Negociar é ouvir e fazer-se ouvir, é saber reformular posicionamentos, analisar um acontecimento, uma situação ou um impasse através de diferentes prismas, definir objetivos a serem alcançados. Negociar é, em resumo, um meio para atingir um fim, isto é, equacionar uma relação de interdependência na qual as partes envolvidas necessitam uma da outra para atingir seus objetivos.Por isso pressupõem uma combinação eficaz de empatia, criatividade, definição clara de metas e objetivos a serem alcançados, flexibilidade e competência interpessoal.
7. Abertura e disposição para aprender e reconstruir experiências
Ser um eterno aprendiz é deixar-se surpreender pelo novo, pelas descobertas constatações, é reconhecer que sempre é possível aprender mais. Trata-se de uma postura de humildade através da qual reconhecemos nossas limitações a respeito do saber, no seu sentido mais amplo, e permanecemos abertos ao crescimento e desenvolvimento de nossas potencialidades.

Esta competência durável é fundamental em cenários de rápida mudança e momentos históricos de avanço constante da ciência e tecnologia, cujas conseqüências são o obsoletismo crônico dos saberes e do fazer acontecer.

Por exemplo, se até pouco tempo afirmava-se que era impossível transplantar células cerebrais , constatou-se recentemente que o cérebro do feto humano contém células mestras (chamadas de células de talos neurais - neural stem cells) que podem transformar-se em qualquer tipo de célula cerebral, havendo elevada probabilidade de uma vez injetadas num cérebro humano doente, substituírem espontaneamente as células doentes ou mortas.

No mundo do trabalho no qual profissões surgem e desaparecem em poucas décadas, processos de produção de bens e serviços mudam radicalmente, a natureza do trabalho transforma o indivíduo de mera mão de obra em criador de idéias , solucionador de problemas e responsável pela obtenção de resultados, a capacidade de aprendizagem é vital. No entanto, a grande maioria dos seres humanos sub-utiliza esta capacidade, por não acreditar que seja capaz de faze-lo, por acomodação, por temor de enfrentar desafios, por render-se a hábitos arraigados, por desqualificar seu potencial.

A manutenção da nossa trabalhabilidade envolve um investimento constante na atualização. Trata-se de um patrimônio virtual inalienável, indestrutível, passível de desenvolvimento ilimitado que assegura nossa estabilidade interna, mantém nossa auto-estima elevado e nos permite conviver com a instabilidade do meio ambiente sócio-econômico, além de maximizar a utilização dos recursos que possuímos e as oportunidades que se nos apresentam.


  • Entrevistas





Entrevistada:

Empresa:

Entrevistador: Alex Honorato

Entrevistada: Vera Módolo

Empresa: Foco Gerenciamento de Serviços

Entrevistador: Antonio Carlos
Assunto: Análise Transacional (AT)
Antonio: O que é a Análise Transacional?

Vera: É uma forma de enxergarmos o indivíduo, trata-se de uma teoria que analisa em profundidade os processos psicológicos internos e as relações interpessoais, centrada na compreensão, predição e mudança do comportamento humano. É uma forma clara, simples e objetiva de entender estas relações.
A: Qual é a principal característica da AT?

V: Uma das características é entender o indivíduo como mutante em seu estado de ego. O comportamento humano é multifacetado e passível de variáveis conforme o ambiente externo. Nós possuímos três estados-de-ego: Pai (valores), Adulto (razão) e Criança (emoções). Estes estados se relacionam através das transações.
A: Como é formada a estrutura da AT?

V: Como foi dito anteriormente, temos três estados-de-ego:

  • Extero-psíquico ou Pai: É responsável pela aplicação de valores, da moral, e preconceitos.

  • Neo-psíquico ou Adulto: Avalia a realidade, possui pensamento lógico, racional.

  • Arqueo-psíquico ou Criança: “Local” onde estão guardadas nossas emoções, criatividade, espontaneidade.


Estes estados-de-ego são fontes de comportamento e seu relacionamento está fundamentado em transações que podem ser classificadas em:

  • Complementares: a comunicação é contínua, até atingir seu objetivo;

  • Cruzadas: a comunicação muda de rumo, outro assunto passa a ser abordado;

  • Ulteriores: ocorrem dois níveis de comunicação: verbal e não verbal.


A: Podemos concluir que AT nos torna indivíduos mais “sociáveis”?

V: A consciência de tudo isso que AT nos apresenta proporciona um auto-desenvolvimento, elevando o patamar das relações interpessoais.

Entrevistada:

Empresa:

Entrevistador: Luiz Fernando

Entrevistado: Francisco Massó

Empresa: GPAT-Espanha

Entrevistador: Mateus Proto
Mateus: ¿lo que es el Análisis Transaccional?

Francisco: A.T. es una corriente teórica psicológica, que se encuadra dentro del ámbito de la Psicología Humanista. Sus creadores fueron un grupo interdisciplinar que se llamó el Seminario de Psicología y Psiquiatría Social de San Francisco, encabezado por Eric Berne, en la década de los años 60.

M: ¿lo que es el objetivo principal de Análisis Transaccional?

F: Dar autonomía a la persona, lograr que se sienta autor y protagonistade su vida.

M: ¿dónde el Análisis Transaccional es aplicado?

F: A la Educación, las empresas, la clínica y la intervención social

M: ¿cómo el Análisis Transaccional es aplicado en la vida personal? ¿Cómo puede ayudar en la vida personal?

F: Es un facilitador de la consciencia personal, nos ayuda a conocernos con myor profundidad y esto contribuye a mejorar nuestras relaciones, resolver y prevenir conflictos; pero, sobre todo a crear nuestro proyecto existencial de vida.

M: ¿cómo el Análisis Transaccional es aplicado en las corporaciones? ¿Cómo puede ayudar en las corporaciones?

F: Es eficaz para mejorar la comunicación, analizar los juegos o relaciones negativas y conseguir dar cohesión a los equipos de trabajo

M: ¿usted trabaja con el Análisis Transaccional? ¿Por qué?

F: Trabajo con A. T. Desde 1980, porque es útil, sirve a mis clientes y a mí mismo

M: ¿cómo usted aplica el Análisis Transaccional en su vida?

F: En mi vida personal, me ha servido para incrementar el caudal y la calidad de caricias positivas que intercambio.

Además cuido mi sensualidad, atiendo a mis nececesidades afectivas, lúdicas y de crecimiento personal. Creo que me respeto más y procuro mi desarrollo personal con más cariño que antes de conocer A.T.

M: ¿lo que es la importancia de Análisis Transaccional en su vida?

F: Enorme. Es mi medio de via profesional y, en lo personal, me ha ayudado considerablemente.
M: ¿usted confía o gustas de Análisis Transaccional? ¿Por qué?

F: Porque es sencillo, profundo, integrativo y eficaz.


Entrevistado: Jonathon Wagner

Empresa: ITAA-EUA

Entrevistador: Mateus Proto
Mateus: What is Transactional Analysis?

Jonathon: It is a theory of personality and social psychology as well as a method of working with individuals and groups.
M: What is the main objective of Transactional Analysis?

J:

  1. To help an individual understand him or her self;

  2. To clarify what happens in relationships;

  3. To use this information to develop a positive sense of self and satisfactory relationships.


M: Where Transactional Analysis is applied?

J: The International Transactional Analysis Association has members in over 60 countries who use it in individual and group counseling both for behavior modification and depth analysis.  Members also use it to help organizations and businesses function more smoothly. A third group of members use it in school situations for counseling students, building social skills and enhancing self-esteem.  Non-members use the theory as part of substance abuse programs, especially the focus on the inner Child. 


M: How Transactional Analysis is applied in personal life? How can it help in personal life?

J: Some people read a book or two about transactional analysis and use the ideas to understand ones self or help others understand them self.  Persons who are trained in transactional analysis and certified by the Training and Certification Council must demonstrate an understanding of the theory, show effectiveness with clients, demonstrate enough self understanding to be able to not impose ones own will on others.  These people have thousands of hours of training beyond those required for their own profession and use it as they would within their profession.  It helps by identifying behaviors that can be changed and understanding of how certain learned behaviors, feelings, and thoughts are accepted as "true" when they are choices.  By understanding the availability of other choices individuals and groups can make new and hopefully more successful choices.  


M: How Transactional Analysis is applied in corporations? How can it help in corporations?

J: I have done very little work with corporations.  Generally it is used in a similar way as with people seeking counseling but not as personally- more as education about how people communicate with each other, the use of ulterior communication- communications with hidden meanings.  It is also used to identify when different parts of the ego are useful- when to be like a parent, nurturing or confronting- when to be like a child, creative, fun loving, following the rules or breaking the rules- and when to be like an adult problem solver.
M: Do you work with Transactional Analysis? Why?

J: Yes.

1. I like that it encourages professionals to use every day language, language that makes sense to our clients.  Even when a professional is explaining technical and complex ideas we are encouraged to use simple language. 

2. The client is not blamed for having problems.  In fact, when a client shows the behavior that causes trouble in life it is seen as a real life demonstration of what the person wants to change.

3. The theory can be used for behavior changes and for deep personality changes in thinking and feeling.  a person can enter therapy seeking new ways to show a partner affection and move on to understanding a repeated habit that stems from left over childhood learning.  Put another way the client can learn to say "I love you" to a partner and later use the same problem to understand how the lack of love as a child makes loving difficult. 
M: How do you apply Transactional Analysis in your life?

J: As I learned to be a therapist, I also learned to live my life in a more satisfactory way.  If you want details I have an article published in the Transactional Analysis Journal on the subject.  The article is "Becoming A Therapist, Being A Person" It will be on my web site in a few months but I can send you a copy if you want it.

M: What is the importance of Transactional Analysis in your life?

J:
1. It is the way I earn my living;

2. It allows me to continue to be helpful even though I am crippled with Multiple Sclerosis;

3. I was good at seeing the fault in others and this theory has helped me see the possibilities in others which also helps me see my own possibilities.


M: Do you trust or like of Transactional Analysis? Why?

J: I do not trust transactional analysis.  It is just one theory of many in a very new field of study.  During the thirty years i have used it there have been many changes as we learn more about human relationships and the brain.  I trust myself to use what theory is useful and to change theory as it needs to be changed.

I like transactional analysis because it offers a broad spectrum about human personality.  It is like a coat rack upon which other things can be added.  In working with clients I have discovered that I need something like Freud's Id.  I have added the idea of a Phylon state which is related to the more primitive parts of the brain while the ego is more related to the neo cortex.

Entrevistada: Maria Regina F. Silva

Empresa: UNAT-Brasil

Entrevistador: Mateus Proto
Mateus: O que é Análise Transacional?

Maria: A Análise Transacional é uma linha terapêutica neo-freudiana, criada nos anos 50, nos Estados Unidos, pelo psicanalista Eric Berne, é também uma filosofia que acredita que todo ser humano é OK, o que significa que todo indivíduo pode ter consciência do que se passa com ele, ter autonomia de fazer escolhas e desfrutar de relacionamentos autênticos com outros seres humanos, é também um conjunto de técnicas que através da análise da comunicação entre as pessoas, as transações, pode ser aplicada na área clínica, em psicoterapia, na área educacional, para facilitar os processos de aprendizagem, na área organizacional, no diagnóstico e solução de problemas e para melhorar a qualidade dos relacionamentos.
M: Qual o principal objetivo da Análise Transacional?

M: O principal objetivo de AT, de modo geral, é que o ser humano seja capaz de agir com consciência, autonomia e intimidade já na área clínica, que possa obter a cura, sair do Script de Vida, no menor espaço de tempo possível.
M: Onde se aplica Análise Transacional?

M: Na clínica, a AT se aplica no tratamento desde neuroses até psicoses, em trabalhos individuais ou de grupo, com adultos ou crianças, na orientação a casais e a famílias.

Na educação, no planejamento de atividades que propiciem o desenvolvimento de comportamentos OK/OK entre os alunos, isso inclui atitudes de respeito, capacidade de lidar adequadamente com emoções e resolver problemas de forma assertiva, a Análise Transacional tem sido considerada como método prático para aplicação nos Parâmetros Curriculares Nacionais, também para diagnóstico e solução de problemas entre pessoas, professores, alunos, pais, etc.
M: Como se aplica Análise Transacional na vida pessoal? Como ela pode ajudar na vida pessoal?

M: Todo ser humano tem três tipos de experiências de vida: as relíquias do passado ( Estado de Ego Criança), aprendizado adquirido de figuras de autoridade (Estado de Ego Pai) e a experiência atual de vida ( Estado de Ego Adulto), tendo consciência do funcionamento dos Estados de Ego, pode escolher respostas adequadas para qualquer situação, conhecendo o funcionamento dos Estados de Ego nas outras pessoas poderá avaliar as transações, os tipos de comunicação e também identificar padrões de conflito ( jogos psicológicos) obtendo qualidade nos relacionamentos.
M: Como se aplica Análise Transacional nas organizações? Como ela pode ajudar nas organizações?

M: Na organização, a AT é utilizada na avaliação de clima organizacional, no treinamento de equipes, no diagnóstico e solução de problemas de relacionamento e de comunicação, no treinamento de lideranças, etc.

Em outras áreas, a AT tem sido utilizada em advocacia na análise do discurso, em fisioterapia, enfermagem e medicina, na melhoria da qualidade de comunicação com o paciente, etc.

Eu atuo na área clínica. Sugiro que esta questão seja respondida pela Rosa Krausz que atua na área organizacional.
M: Você trabalha com Análise Transacional? Por que?

M: Eu trabalho com Análise Transacional porque apresenta bons resultados para os meus pacientes, possibilitando um tratamento com rápidos resultados, equilíbrio na participação de terapeuta e paciente no processo terapêutico, com consciência e autonomia do paciente, o que diminui muito a dependência,além disso, tem uma linguagem simples que permite o atendimento a diferentes classes sociais.
M: Como você aplica Análise Transacional no seu dia-a-dia?

M: Conheci a Análise Transacional como paciente, ainda durante o curso de Psicologia, a partir dos resultados obtidos no meu próprio processo pessoal, decidi trabalhar com AT. Utilizo a AT diariamente, nos meus relacionamentos profissionais, familiares e sociais.
M: Qual a importância da Análise Transacional no seu dia-a-dia?

M: Acho que grande parte do meu sucesso e da qualidade dos meus relacionamentos se deve ao conhecimento sobre Estados de Ego, Transações, Jogos e Script de Vida.
M: Você confia ou gosta da Análise Transacional? Porque?

M: Sim, porque eu a utilizo diariamente tanto na vida pessoal como na vida profissional, observo seu resultado na cura dos meus pacientes e também na minha própria.

Entrevistada: Noeliza Lima

Empresa: UNAT-Brasil

Entrevistador: Mateus Proto
Mateus: O que é Análise Transacional?

Noeliza: Análise transacional é um método psicológico, criado por Eric Berne. De base psicodinâmica busca informar ao indivíduo sobre a possibilidade de seu crescimento e desenvolvimento de potencial.
M: Qual o principal objetivo da Análise Transacional?

N: Possibilitar que o indivíduo seja ele mesmo, liberto de gravações internas que podem cerceá-lo em sua expressão.
M: Onde se aplica Análise Transacional?

N: Em qualquer espaço onde pessoas lidem com pessoas.
M: Como se aplica Análise Transacional nas organizações? Como ela pode ajudar nas organizações?

N: No que conheço, auxilia em Recrutamento e Seleção, Diagnóstico de grupos, resolução de conflitos, relação chefe subordinado, Entrosamento de grupos, trabalho em equipe, diagnóstico e desenvolvimento de potencial, liderança, treinamento de vendas e criatividade.
M: Você trabalha com Análise Transacional? Por que?

N: Sim. Fui motivada em 1975 pela leitura do livro I’m OK, You are OK’ de Thomas Harris. Considerei a proposta de relacionamento com base em transações bastante adequadas. No entanto só consegui encontrar um curso de Formação em Análise transacional em 1977. Dr. Cecílio Kermann (Instituto Privado de Psicologia Medica – Arg. – iniciou um grupo aqui em Campinas).
M: Como você aplica Análise Transacional no seu dia-a-dia?

N: Buscando preservar minha autonomia e a autonomia dos seres e grupos que me rodeiam. Trabalho com Direitos humanos, minha dissertação é sobre Cidadania. Atendo pacientes em consultório e sou professora de Psicologia Aplicada à administração / recursos Humanos III nas Faculdades Sant’(Anna de Salto).
M: Qual a importância da Análise Transacional no seu dia-a-dia?

N: Tem muita importância devido ao tempo que me dedico a prover o conteúdo do nosso website www.unat.com.br e também a cuidar de toda a correspondência da UNAT em relação ao meio científico/académico. Também ministro um curso on line de AT, juntamente com um colega José Silveira Passos (www.josesilveira.com).
M: Você confia ou gosta da Análise Transacional? Porque?

N: Confio, por trazer ao ser humano a assertividade, espontaneidade e capacidades intuitiva e amorosa que muitas vezes por condicionamento emocional deixamos perdidos ao longo da infância. Gosto de sua linguagem objetiva e de como é eficaz ao explicar as pessoas sua forma de ser e como alterar formas de sentir e pensar inadequadas ao momento. Desenvolve pessoas e grupos.

Entrevistada: Rosa R. Krausz

Empresa: REGAT

Entrevistador: Mateus Proto
Mateus: O que é Análise Transacional?

Rosa: A Análise Transacional é uma teoria do comportamento humano. Pode ser considerada, também, como um conjunto de técnicas de mudança comportamental auto-dirigida e uma filosofia de vida baseada em valores humanísticos e no respeito pela capacidade das pessoas.
M: Qual é o principal objetivo da Análise Transacional?

R: É dar as pessoas as condições necessárias para realizarem o seu potencial, a sua autonomia e a sua auto-realização, liberando-as da sua auto-opressão.
M: Como se aplica a Análise Transacional?

R: A Análise Transacional pode ser aplicada:

a) Na prática clínica através de processos terapêuticos

b) Nas empresas através de treinamentos e intervenções que tenham por objetivo trabalhar o relacionamento entre as pessoas e a compreensão dos processos intra e interpessoais que atuam na cultura da organização, na sua forma de atuar, nos seus valores e nos resultados do trabalho coletivo.

c) Nas escolas de todos os níveis para embasar a filosofia e prática educacional que objetiva a formação integral do educando como cidadão responsável, participante e consciente de seus direitos e deveres.
M: Como se aplica a Análise Transacional na vida pessoal? Como ela pode ajudar na vida pessoal?

R: Sua aplicação está voltada para o auto-conhecimento e a expansão da consciência. Ela poderá ajudar as pessoas a verem o mundo à sua volta como ele é e não como as pessoas acham que deveria ser ou gostariam que fosse. A Análise Transacional também permite que as pessoas tornem seus relacionamentos mais saudáveis, construtivos, gratificantes e autênticos, além de facilitar o processo de comunicação.
M: Como se aplica nas organizações? Como ela pode ajudar as organizações?

R: A aplicação da Análise Transacional nas organizações é feita com o objetivo de facilitar o relacionamento entre pessoas, grupos e setores da organização, eliminando/ minimizando a competição, a deslealdade, o abuso do poder, o autoritarismo, os conflitos que tanto desgastam e estressam as pessoas criando um clima tóxico e prejudicando os resultados da empresa.
M: Você trabalha com Análise Transacional? Por que

R: Sim, aplico-a nas áreas organizacional e educacional através de treinamento, consultoria e coaching de executivos. Optei por fazer minha formação como Analista Transacional pela ITAA (International Transactional Analysis Association) e UNAT-BRASIL porque considero a Análise Transacional uma teoria solida, coerente, rica e aplicável . Trabalho há mais de 25 anos com Análise Transacional e tenho obtido excelentes resultados.
M: Como você aplica a Análise Transacional no dia-a-dia.?

R: Em todos os momentos. A Análise Transacional éncoerente com meus valores pessoais e creio que depois de tantos anos ela acabou se incorporando a minha maneira de ser. Não basta falar transacionalmente. O que realmente importa é agir transacionalmente.
M: Qual a importância da Análise Transacional no seu dia-a-dia?

R: Ela constitui meu quadro de referência para compreender meu comportamento e a reação das pessoas a ele.
M: Você confia ou gosta da Análise Transacional? Por que?

R: Uma das grandes vantagens que a Análise Transacional tem sobre as teorias de comportamento que eu conheço é que posso testar a sua acuidade em mim mesma. Portanto, não se trata de confiar, mas sim de constatar. Gosto da AT por sua coerência interna, por ser lógica e clara o que me permite raciocinar transacionalmente.

Sugiro que você leia meu livro “Trabalhabilidade” publicado pela Nobel Editora de São Paulo que poderá propiciar-lhe maiores esclarecimentos sobre a aplicação da AT nas organizações produtoras de bens e serviços.

Entrevistada: Sam Lloyd

Empresa: USATAA-EUA

Entrevistador: Mateus Proto
Mateus: What is Transactional Analysis?

Sam: It is a system of social psychology that was developed by Dr. Eric Berne in the 1960s that became popular after the publication of his book, Games People Play, and another book by Thomas Harris, I’m OK – You’re OK.
M: What is the main objective of Transactional Analysis?

S: The objective of T.A. is to simplify the complexities of traditional explanations of human psychological structure and processes to make them easier for people to understand and to use this understanding to improve their personal effectiveness and the quality of their lives.
M: Where Transactional Analysis is applied?

S: It is applied primarily in psychotherapy along with other techniques. T.A. is not a complete therapy model so therapists who use it are also trained in other methodologies, techniques and skills. Some psychotherapists who use TA are psychiatrists, others are psychologists, social workers, psychiatric nurses, etc.

TA also is used by organizational consultants and trainers and by teachers at various levels of education. It is also used by crisis counselors, hostage negotiators, law enforcement officers, victims’ advocates, managers, customer service representatives, salespeople, and many, many others who interact with other human beings in their daily lives.
M: How Transactional Analysis is applied in personal life? How can it help in personal life?

S: People use TA to understand their everyday communications with other people and how to improve the quality of those communications and the quality of their relationships. When people learn the TA concepts as part of a personal therapy experience, they also can use the explanations to help them make significant changes in life patterns that contribute to the challenges and dissatisfactions that prompted them to seek the help of a therapist.

Even those who learn basic TA concepts in educational experiences can use the ideas and techniques to improve their personal and interpersonal effectiveness because the model is very practical, easy to remember, and results-oriented.
M: How Transactional Analysis is applied in corporations? How can it help in corporations?

S: TA can be used to analyze the complex processes of human interaction within an organization to better understand what is working well and where improvements can be made. Organizations often reflect the psychological patterns of the founders and the current leaders. This phenomenon can be identified and used to understand why certain problems occur and how the patterns can be changed to improve organizational effectiveness.

TA is also used in organizational training programs to help individuals and teams function more effectively by improving their communication skills, reducing conflicts, learning to resolve conflicts that do occur, improving relationships, and reducing stress.
M: Do you work with Transactional Analysis? Why?

S: Yes. We have used TA in organizational training programs for approximately 30 years because it is such an easy to learn, practical and results-oriented system for explaining and understanding human functioning. Training participants can learn quickly how to use the TA concepts to improve their effectiveness with other people at work and at home.
M: How do you apply Transactional Analysis in your life?

S: My partner and I have made important changes in our lives through psychotherapy, working with therapists who used TA as part of their methodology. We also use TA in our work as mentioned above and we practice using the TA concepts and interpersonal skills based on those concepts in our daily lives in all of our interactions with others.
M: What is the importance of Transactional Analysis in your life?

S: Transactional Analysis has had a profound effect upon how I live my life because the concepts have become part of my personal philosophy and value system and because the concepts and skills that I teach to others in my work as a training and development consultant with organizations have become part of my personal approach for dealing with others in all aspects of my life.
M: Do you trust or like of Transactional Analysis? Why?

S: Transactional Analysis is one of the most important systems that I have ever learned and I have found it much easier to use than most of the academic models I learned while learning in my B.S., M.B.A. and Ph.D. academic programs in Business Administration. I like it because the system uses uncomplicated language and explanations to help people understand complex things which makes it easy for them to remember and use what they learn. I also like it because it is based on valuing all people and emphasizing the importance of interacting with others in mutually respectful ways.

Entrevistada: Sean Manning

Empresa: ITAA

Entrevistador: Mateus Proto
Mateus: What is Transactional Analysis?

Sean: TA is a series of models of human behaviour and the psychological development, mechanisms and structures that are the basis for that behaviour. Originated by Eric Berne during his studies on intuition, it is based on the idea that there are three kinds of functioning, or states of the ego, known as ego states - those based on archaic experience, those based on models incorporated from other people, principally parents, and those based on autonomous functioning. These are known as Child, Parent and Adult ego states. Using this model, transactions between people are analyzed, leading to a theory of human behaviour and communication that has application in psychotherapy, education and in human organisations.
M: What is the main objective of Transactional Analysis?

S: Originally, it was designed as a brief therapy practiced with groups, using simple language and visual models that people could apply in their lives and relationships in the pursuit of happiness and relief from psychological distress. That purpose has been extended to aiming to promote harmony between people in a humanitarian society.
M: Where Transactional Analysis is applied?

S: TA is applied in counselling and psychotherapy, in educational settings and in organisations. It is also evident in literature outside of TA, and is widely applied by people in the course of everyday living.
M: How Transactional Analysis is applied in personal life? How can it help in personal life?

S: TA models, because they can be understood in simple language and visual symbols, are easily grasped by most people, whether or not they have education in psychology. The models for analyzing transactions (TA proper," and "games" have direct application in human relationships, whether they be intimate partnerships or working relationships. Also, TA is applied in self-help, where there is internal distress, using the theories of ego states, "rackets" and "script".
M: How Transactional Analysis is applied in corporations? How can it help in corporations?

S: By understanding the nature of communication between people in organisations, that communication can be improved. Also, the models that apply to an individual and to personal communication can be extended to organisations, which can also be considered to exhibit collective behaviour suggesting organisational "scripts," "rackets" and "games." These models can be used to overcome negative trends in organisations, leading to efficiency, productivity and staff satisfaction.
M: Do you work with Transactional Analysis? Why?

S: Yes. I use TA mainly because of it's underlying optimistic philosophy, starting from the idea that everyone is OK, that life is based on decisions that can be changed, and using concepts that are humanistic and easily grasped. It fits with my personal value system.
M: How do you apply Transactional Analysis in your life?

S: I use it in the ways outlined above, to maintain awareness of my behaviour and internal experience, to improve my psychological well-being and relationships. I am aware of my own ego states, communication patterns and script, and am able to change these, improving my ability to operate autonomously.
M: What is the importance of Transactional Analysis in your life?

S: I have devoted considerable time and resources to the study or TA, have developed as a human being as a result, and now work to educate others and help maintain the international TA community. Because of the core philosophies, my life and that of others continues to be enriched. I have also found an accepting and humanitarian international community to belong to. I would say TA is central in my life.
M: Do you trust or like of Transactional Analysis? Why?

S: I think I have already answered this. While there are difficult and untrustworthy people everywhere, with few exceptions I trust the TA community, and find the basic philosophy worthy of being a guide for living.


  • Conclusão





A Análise Transacional é uma teoria que vem difundindo-se Globalmente, através de seu jeito simples e prático de ajudar o ser humano. Está tornando-se efetiva no apoio a vida e as organizações.

Com a estrutura que é utilizada pela Análise Transacional, podemos observar nosso comportamento, aplicando os conceitos de Estado do ego. Assim tornaremos nossas transações mais objetivas e conseguiremos estruturar nosso tempo mais adequadamente, a fim de buscarmos carícias mais efetivas a vida.

No caso das emoções, podemos torna-las mais autenticas ao invés de falsas, a qual omite nossos verdadeiros pensamentos e medos. Com emoções mais autenticas seremos capazes de alcançarmos uma posição existencial melhor.

A Análise Transacional veio para mostrar que nós, seres humanos, somos OK. Sua positividade permite alcançarmos um estado de bem estar verdadeiro e assim ajudar ao próximo sentir-se da mesma forma, melhorando as relações interpessoais.


  • Fontes


American National Biography


The life of a nation is told by the lives of its people...”

www.anb.org

The International Transactional Analysis Association


www.itaa-net.org

Portal Brasileiro de Análise Transacional


www.josesilveira.com

Western Pacific Association of Transactional Analysis


www.wpata.com.au

Smallwood Publishing Group


Resources for Mental Health and Education Professionals

www.smallwood.co.uk

Asociación Aragonesa de Análisis Transaccional


www.arrakis.es/~ata

Centre de Consultation enéducation

www.psychoeducation.org




Deutshe Gesellschaft für Transaktionsanalyse

www.dgta.de




Institute of Transactional Analysis


www.ita.org.uk

International Transactional Analysis Association


www.itaa-net.org

Transactional Analysis in Ireland


indigo.ie/~liztai/tai_home

União Nacional dos Analistas Transacionais


www.unat.com.br

United States of America Transactional Analysis Association


www.usataa.org

Gabinete de Psicologia y Analisis Transaccional


http://www.cop.es/colegiados/M-00407/INDEX.HTML
Força Tarefa em Análise Transacional

Documentação cedida por Noeliza Lima.

Doctor BBS Brasil


www.doctorbbs.com

Cobra Pages


www.cobra.pages.nom.br

Sobre Sites


www.sobresites.com/psicologia

Empregos.com.br


www.empregos.com.br

1   2   3   4   5   6   7

similar:

Entrevista Conclusão iconEntrevista r

Entrevista Conclusão icon7. entrevista

Entrevista Conclusão iconEntrevista psicolóica

Entrevista Conclusão iconEntrevista a Egresado

Entrevista Conclusão iconEntrevista : consideraciones

Entrevista Conclusão iconEntrevista en profundidad: 74

Entrevista Conclusão iconEntrevista al Doctor

Entrevista Conclusão iconEntrevista extensiva 6

Entrevista Conclusão iconEntrevista e: ¿Qué me puedes

Entrevista Conclusão iconEntrevista a la familia / anamnesis




Todos los derechos reservados. Copyright © 2019
contactos
b.se-todo.com