Programa na tradução. Texto em vermelho sublinhado




descargar 0.58 Mb.
títuloPrograma na tradução. Texto em vermelho sublinhado
página1/14
fecha de publicación11.03.2016
tamaño0.58 Mb.
tipoPrograma
b.se-todo.com > Derecho > Programa
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14
Preparado por SusanaCap

A partir do original em .pdf, em língua espanhola, de Eliana Guimarães (Psicóloga – Mediateca)

Texto em azul sublinhado: houve dúvida do programa na tradução.

Texto em vermelho sublinhado: não traduzido.

Se alguém corrigir os erros, poderia me devolver para colocar no acervo:

susanacap@itelefonica.com.br
Neste documento: (hiperlink)


SEIS ESTUDOS DE PSICOLOGIA (tradução por software)

SEIS ESTUDIOS DE PSICOLOGÍA (original em espanhol)

SEIS ESTUDOS DE PSICOLOGIA (tradução por software)

Jean PIAGET


P s i K ou l i b r ou
1

O DESENVOLVIMENTO MENTAL DO MENINO

O desenvolvimento psíquico, que se inicia ao nascer e conclui na idade adulta, é comparável ao crescimento orgânico: ao igual a este ultimo, consiste essencialmente em uma marcha para el equilibrio. Assim como o corpo evolui até alcançar um nível relativamente estável, caracterizado pelo final do crescimento e a maturidade dos órgãos, assim também a vida mental pode conceber-se como a evolução para uma forma de equilíbrio final representada por o espírito adulto. O desenvolvimento é, portanto, em certo modo um equilíbrio progressivo, um perpétuo passar de um estado de menor equilíbrio a um estádio de equilibrio superior. Do ponto de vista da inteligência, é fácil, por exemplo, opor a inestabilidade e incoerência relativas das idéias infantis à sistematização da razão adulta. Também no terreno da vida afetiva, observou-se muitas vezes como o equilibrio dos sentimentos aumenta com a idade. As relações sociais, finalmente, obedecem a esta mesma lei de estabilização gradual.

Entretanto, terá que destacar desde o começo a diferença essencial entre a vida do corpo e a do espírito, se quer respeitar o dinamismo inerente à realidade espiritual. A forma final de equilíbrio que alcança o crescimento orgânico é mais estática que aquela para a cual tiende o desenvolvimento mental, e, sobre tudo, mais instável, de tal maneira que, assim que foi concluida a evolução ascendente, começa automaticamente uma evolução regressiva que conduz à velhice. Agora bem, certas funções psíquicas, que dependem estreitamente do estado dos órgãos, seguem uma curva análoga: a acuidade visual, por exemplo, passa por um maximum para o final da infância e diminui logo, ao igual a outras muitas comparações perceptivas que se regem por esta mesma lei. Em troca, as funções superiores da inteligência e da afetividade tendem para um "equilíbrio móvel", e mais estável quanto mais móvel é, de forma que, para as almas sões, o final do crescimento não marca de modo algum o começo da decadência, mas sim autoriza um progresso espiritual que não contradiz em nada o equilíbrio interior.

Assim, pois, vamos tentar descrever a evolução do menino e do adolescente sobre a base do conceito de equilíbrio. Desde este ponto de vista, o desenvolvimento mental é uma construçãn continua, comparável ao levantamento de um grande edifício que, a cada elemento que se lhe adiciona, faz-se mais sólido, ou melhor até, à montagem de um mecanismo delicado cujas sucessivas fases de ajustamento contribuem a uma flexibilidade e uma mobilidade das peças tanto maiores quanto mais estável vai sendo o equilíbrio. Mas então convém introduzir uma distinção importante entre dois aspectos complementares deste processo de equilibrio: é preciso opor desde o começo as estruturas variáveis, as que definem as formas ou estados sucessivos de equilíbrio, e um determinado funcionamento constante que é o que assegura a passagem de qualquer estádio ao nível seguinte.

Assim, por exemplo, quando comparamos o menino ao adulto, tão logo nos sentimos sorprendidos por a identidade das reações e falamos em tal caso de uma "pequena personalidade" para dizer que o menino sabe muito bem o que deseja e atua como nós em função de intereses concretos como descobrimos todo um mundo de diferenças, no jogo, por ejemplo, ou na forma de raciocinar, e dizemos então que "o menino não é um pequeno adulto".

Entretanto, as duas impressões são certas, cada uma em seu momento. Do ponto de vista funcional, quer dizer, considerando os móveis generais da conduta e do pensamiento, existen mecanismos constantes, comuns a todas as idades, a todos os níveis, a acción supone sempre um interesse que a desencadeia, já se trate de uma necessidade fisiológica, afetiva ou intelectual (a necessidade se apresenta neste último caso em forma de uma pergunta ou de un problema); a todos os níveis, a inteligência trata de compreender ou de explicar, etc., etc.

Agora, embora é certo que as funções do interesse, da explicação, etc., são, como acabamos de ver, comuns a todos os estádios, quer dizer, "invariantes" a título de funções, no es menos certo que "os interesses" (por oposição a "o interesse") variam grandemente de un nível mental a outro, e que as explicações particulares (por oposição à função de explicar) revestem formas muito diferentes segundo o grau de desenvolvimento intelectual. Ao lado de las funciones constantes, terá que distinguir, pois, as estruturas variáveis, e é precisamente el análisis destas estruturas progressivas, ou formas sucessivas de equilíbrio, que marca las diferencias ou oposições de um nível a outro da conduta, dos comportamientos elementales do recém-nascido até a adolescência.

As estruturas variáveis serão, pois, as formas de organização da atividade mental, sob su doble aspecto motor ou intelectual, por uma parte, e afetivo, por outra, assim como segundo seus dos dimensiones individual e social (interindividual). Para maior claridade, vamos distinguir seis estadios ou períodos de desenvolvimento, que marcam a aparição destas estruturas sucesivamente construidas: 1. O estádio dos reflexos, ou montagens hereditárias, assim como das primeras tendencias instintivas (nutrição) e das primeiras emoções. 2. O estádio dos primeros hábitos motores e das primeiras percepções organizadas, assim como dos primeros sentimientos diferenciados. 3. O estádio da inteligência sensorial-motriz ou prática (anterior al lenguaje), das regulações afetivas elementares e das primeiras fixações exteriores de la afectividad. Estes primeiros estádios constituem o período do lactante (hasta aproximadamente um ano e meio a dois anos, quer dizer, antes dos desenvolvimentos da linguagem y del pensamento propriamente dito). 4.- O estádio da inteligência intuitiva, de los sentimientos interindividuales espontâneos e das relações sociais de submissão ao adulto (de los dois anos aos sete, ou seja, durante a segunda parte da "primeira infância"). 5. O estadio de as operações intelectuais concretas (aparição da lógica), e dos sentimientos morales e sociais de cooperação (dos sete anos aos onze ou doze). 6. O estádio de las operaciones intelectuais abstratas, da formação da personalidade e da inserción afectiva e intelectual na sociedade dos adultos (adolescência).

Cada um de ditos estádios se caracteriza, pois, pela aparição de estruturas originales, cuya construção lhe distingue dos estádios anteriores. O essencial dessas construcciones sucesivas subsiste no curso dos estádios anteriores em forma de substruções sobre las cuales terão que edificá-los novos caracteres. Disso se deduz que, no adulto, cada uno dos estádios passados corresponde a um nível mais ou menos elementar ou elevado de la jerarquía das condutas. Entretanto, cada estado comporta também uma série de caracteres momentâneos ou secundários, que vão sendo modificados pelo anterior desenvolvimento, em função das necessidades de uma melhor organização. Cada estado constitui, pois, por las estrutura que o definem, uma forma particular de equilíbrio, e a evolução mental se efectúa no sentido de uma equilibración cada vez mais avançada.

E agora podemos compreender o que são os mecanismos funcionais comuns a todos los estadios. Pode dizer-se, de maneira absolutamente geral (não só por comparação de cada estadio com o seguinte, mas também também por comparação de cada conduta, dentro de cualquier estado, com a conduta que lhe segue) que toda ação - quer dizer, todo movimento, todo pensamiento ou todo sentimento - responde a uma necessidade. O menino, em não menor grau que el adulto, executa todos os atos, já sejam exteriores ou totalmente interiores, movido por una necesidad (uma necessidade elementar ou um interesse, uma pergunta, etc.). Agora bem, tal como ha indicado Claparede, uma necessidade é sempre a manifestação de um desequilíbrio: existe necesidad quando algo, fora de nós ou em nós (em nosso organismo físico ou mental) trocou, de tal maneira que se impõe um reajuste da conduta em função de esa transformación. Por exemplo, a fome ou a fadiga provocarão a busca do: alimento ou del descanso; o encontro com um objeto exterior desencadeará a necessidade de jogar, su utilización com fins práticos, ou suscitará uma pergunta, um problema teórico; uma palavra ajena excitará a necessidade de imitar, de simpatizar, ou dará origem à reserva e a oposição porque habrá entrado em conflito com tal ou qual nossa tendência. Pelo contrário, a ação termina en quanto as necessidades estão satisfeitas, quer dizer, do momento em que o equilíbrio ha sido restabelecido entre o fato novo que desencadeou a necessidade e nuestra organización mental tal e como se apresentava antes de que aquele interviesse. Comer ou dormir, jugar ou alcançar um objetivo, responder à pergunta ou resolver o problema, obter la imitación, estabelecer um laço afetivo, sustentar um ponto de vista, são uma série de satisfacciones que, nos exemplos anteriores, porão fim à conduta particular suscitada por a necessidade. Poderia dizer-se que em cada momento a ação se encontra desequilibrada por as transformações que surgem no mundo, exterior ou interior, e cada conduta nova no sólo consiste em restabelecer o equilíbrio, mas sim tende também para um equilíbrio más estable que o que existia antes da perturbação.

Neste mecanismo contínuo e perpétuo de reajuste ou equilibración consiste a ação humana, y por esta razão podem considerá-las estruturas mentais sucessivas, em suas fases de construcción inicial, a que dá origem o desenvolvimento, como outras tantas formas de equilíbrio, cada una das quais representa um progresso com respeito à anterior. Mas terá que entender también que este mecanismo funcional, por general que seja, não explica o conteúdo ou la estructura das diversas necessidades, já que cada um deles está relacionado com la organización do nível em questão. Por exemplo, à vista de um mesmo objeto, podrán registrarse pergunta muito distintas em um menino pequeno, ainda incapaz de classificações, e en uno maior cujas idéias são mais amplas e mais sistemáticas. Os interesses de um niño dependerán, pois, em cada momento do conjunto das noções que tenha adquirido, así como de suas disposições afetivas, posto que ditos interesses tendem às completar em el sentido de um melhor equilíbrio.

antes de examinar em detalhe o desenvolvimento, devemos, pois, nos limitar a estabelecer a forma general das necessidades e interesses comuns a todas as idades.

Pode dizer-se, a este respeito, que toda necessidade tende: 1.0 a incorporar as coisas e las personas à atividade própria do sujeito e, por conseguinte, a "assimilar" o mundo exterior a las estrutura já construídas, e; 2.0 a reajustar estas em função das transformaciones sufridas, e, por conseguinte, às acomodar" aos objetos externos. Desde este ponto de vista, toda a vida mental, como, por outra parte, a própria vida orgânica, tende a asimilar progresivamente o meio ambiente, e realiza esta incorporação graças a umas estruturas, u órganos psíquicos, cujo rádio de ação é cada vez mais amplo: a percepção e los movimientos elementares (apreensão, etc.) dão primeiro acesso aos objetos próximos em su estadio momentâneo, logo a memória e a inteligência práticas permitem de uma vez reconstituir su estádio imediatamente anterior e antecipar suas próximas transformações. O pensamiento intuitivo vem logo a reforçar ambos os poderes. A inteligência lógica, em sua forma de operaciones concretas e finalmente de dedução abstrata, termina esta evolução fazendo al sujeto dono dos acontecimentos mais longínquos, tanto no espaço como no tempo. A cada um desses níveis, o espírito cumpre, pois, a mesma função, que consiste em incorporar el universo, mas a estrutura da assimilação, quer dizer, as formas de incorporação sucesivas desde a percepção e o movimento até as operações superiores, varia.

Agora bem, ao assimilar desta forma os objetos, a ação e o pensamento se vêem obrigados a acomodarse a eles, quer dizer, a proceder a um reajuste cada vez que há variação exterior.

Pode chamar-se "adaptação" ao equilíbrio de tais assimilações e acomodações: tal é la forma geral do equilíbrio psíquico, e o desenvolvimento mental aparece finalmente, em su organización progressiva, como uma adaptação cada vez mais precisa à realidade. Vamos ahora a estudar concretamente as etapas desta adaptação
1. O RECÉM-NASCIDO E O LACTANTE

O período que vai do nascimento à aquisição da linguagem está marcada por um desarrollo mental extraordinário. ignora-se às vezes sua importância, já que não vai acompanhado de palabras que permitam seguir passo a passo o progresso da inteligência e dos sentimientos, como ocorrerá mais tarde. Não por isso é menos decisivo para toda a evolução psíquica ulterior: consiste nada menos que em uma conquista, através das percepções e los movimientos, de todo o universo prático que rodeia ao menino pequeno. Agora bem, esta "assimilação sensorial-motriz" do mundo exterior imediato, sofre, em dezoito meses ou dos años, toda uma revolução copernicana em pequena escala: enquanto que ao começo de este desarrollo o recém-nascido o refere tudo a si mesmo, ou, mais concretamente, a seu propio cuerpo, ao final, quer dizer, quando se iniciam a linguagem e o pensamento, situa-se ya prácticamente como um elemento ou um corpo entre outros, em um universo que ha construido pouco a pouco e que agora sente já como algo exterior a ele.

vamos descrever passo a passo as etapas desta revolução copernicana, em seu dobro aspecto de inteligência e de vida afetiva nascentes desde o primeiro destes pontos de vista, pueden distinguirse, como já vimos mais acima, três estádios entre o nascimento e o final de este período: o dos reflexos, o da organização das percepções e hábitos e o de la inteligencia sensorial-motriz propriamente dita.

No momento do nascimento, a vida mental se reduz ao exercício de aparelhos reflexos, es decir, de coordenações sensoriais e motrizes montadas de forma absolutamente hereditaria que correspondem a tendências instintivas tais como a nutrição. nos contentemos com
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14

similar:

Programa na tradução. Texto em vermelho sublinhado icon6. Anote as palavras que não conseguiu traduzir. A tradução livre...

Programa na tradução. Texto em vermelho sublinhado iconTradução de ana paula cunha

Programa na tradução. Texto em vermelho sublinhado iconDe Allan Kardec, tradução de Júlio Abreu Filho, publicada pela edicel

Programa na tradução. Texto em vermelho sublinhado iconAutor: Ricardo Baesso de Oliveira (Tradução para o idioma inglês: Pedro Campos.)

Programa na tradução. Texto em vermelho sublinhado iconTexto facilitado por los firmantes del proyecto. Debe tenerse en...

Programa na tradução. Texto em vermelho sublinhado iconTierra las claves pleyadianas de la biblioteca viviente bárbara marciniak
«claridad», ayu­dando a crear un texto que fuera fluido y legible, y la sutileza de Marilyn Hager dio forma definitiva, elegante...

Programa na tradução. Texto em vermelho sublinhado iconEl borrador ya no es la preparación del texto, sino el otro del texto

Programa na tradução. Texto em vermelho sublinhado iconUnidad 1 Texto 1

Programa na tradução. Texto em vermelho sublinhado iconLibro de texto C. Sociales

Programa na tradução. Texto em vermelho sublinhado iconInvestigación I: texto jurídico




Todos los derechos reservados. Copyright © 2019
contactos
b.se-todo.com